REDESCOBRIDORES DA ALMA!

sábado, 14 de novembro de 2015

Nação Em Prantos By Patrícia Pinna



Não apetece-me falar da classe dominante
Engolindo sem pudor o honesto trabalhador
Que em seu labor diário, entre lágrimas e suor
Pensa em sua sorte mudar, esperando surgir alguém
Com a consciência decente, a fim de governar
Sem deixar-se manipular

Eu choro, tu choras, ele chora, nós choramos, todos choram

Ao ver essa calamidade vergonhosa de trem desgovernado
Chamada política sem responsabilidade
Onde foi parar a decência, em qual estação refugiou-se
O bem comum, em que leito prostrado está a esperança?

Imunda escória vomitando falácias, engravidando ingênuos

Parindo aberrações!
Que sorte é essa da nação inteira
Clamando por justiça num labirinto de dor
Onde a força parece esvair-se?

Renovo como energia e conscientização é do que o povo precisa

Para unir-se a lutar como animais ferozes lutam 
Pela sobrevivência de suas crias

Voz sem ação morre sem atingir o objetivo

Tornar a Pátria coesa e liberta
De seus muitos grilhões!

Autoria: Patrícia Pinna
Vídeo: You Tube
Imagem: Internet


                                                                              

22 comentários:

  1. é.... quando vamos nos unir... Resta nos o grito... Beijo no coração!

    ResponderExcluir
  2. Bem expressaste aqui, a dor que sentimos todos nós. Todo cidadão de bem
    chora, um choro de impotência. Só nos resta clama a Deus para nos socorrer.
    Parabéns poetisa pela inspiração. Tem poster novo no Pedacinhos de amor sem fim. Um lindo e abençoado domingo prá ti amiga. Bjs

    ResponderExcluir
  3. Um belo grito de alerta sobre as condições sociais. Há que aliar a palavra há acção coordenada para que o estado de coisas mude e aconteça mais justiça social.
    Bom domingo, Patrícia.
    xx

    ResponderExcluir
  4. Olá, querida Patrícia
    Uma vergonha as lágrimas de todos nós depois de termos depositaido tanta confiança....
    Bjm fraterno

    ResponderExcluir
  5. E...ai, surge no calendário uma data - Proclamação da República! Valores distorcidos hoje mais do que nunca... Ações totalmente voltadas ao benefício próprio! Imperam os fundamentalistas/mentirosos em sua essência.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  6. Parece um grito de revolta!
    Adorei o poema.

    Tenha um bom Domingo.
    Beijos
    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  7. Seu grito de socorro é meu também!Parabéns pelo poema!

    ResponderExcluir
  8. adoreiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii
    AMEIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII
    Vc conseguiu colocar en versos o choro do mundo todo.
    Nem tenho palavras p descrever minha emoção quando li
    essa poesia que mais parece uma mensagem de reflexão.
    LINDAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA
    AMOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO você
    Rosa Valverde

    ResponderExcluir
  9. Belo poema, poeta! - Expressivo, oportuno, o que está na garganta de todos nós! Um beijo grande.

    ResponderExcluir
  10. Que o grito se ouça bem alto ,que faça estremecer quem comanda os destinos de um povo sofrido ,um belíssimo poema revelador de uma realidade actual ,muitos beijinhos no coração querida amiga

    ResponderExcluir
  11. Achei bonito, embora o tópico seja tão triste.
    Tudo neste país parece estar desmoronando, e Às vezes eu penso no mar de lama em Minas, e associo a catástrofe à alma de nossos governantes, pois sinto que de alguma forma, eles também são culpados.

    ResponderExcluir
  12. Perfeito, amiga. Por coincidência também fiz meu desabafo no meu blog. Beijos na alma.

    ResponderExcluir
  13. Muito triste chegar a estas conclusões de lagrimas e dor pela nação. Cada dia mais cresce uma desesperança de uma saída que faça amenizar a dor de pessoas sacrificadas em nome de uma crise que na realidade é a irresponsabilidade que impera em todos os sentidos. Bem nos faz lembrar aquele poema muito usado na década de 70 e 80 quando ainda vivíamos sob uma ditadura perversa, nele diz que na primeira noite roubam uma flor de nosso jardim e não dissemos nada, na segunda noite já pisam no canteiro esmagam as rosas e roubam outra flor e ainda ali não dissemos nada e por aí vai, até quando nos arrancam a voz da garganta.
    É assim querida Patricia em todos os ramos de atividades há um silencio e assim cada dia uma voz é arrancada, porque muito pouco ou quase nada fazemos até que corta na carne.
    Muito bom grito amiga e ainda com o corpo de lama vamos recriando uma forma de sorrir ainda com dor.
    Abraços com carinho e beijos de paz na feliz semana que lhe desejo.

    ResponderExcluir
  14. ... o ideal seria criar soluções, porém, criam mais problemas...
    A cada dia anuncia-se uma nova catástrofe...

    Boa reflexão!

    Beijos no coração amiga Patricia!

    ResponderExcluir
  15. Uma grande reflexão cheia de realidade...

    ResponderExcluir
  16. Parece que a ideologia da ditadura, persiste na mente do povo que parece não ter acordado para saber a força que tem. Um país sem governo, à deriva e o povo morre afogado agarrado em suas bóias... muito triste! Uma bela reflexão sobre o momento que estamos vivendo! Parabéns pelo seu grito de insatisfação e indignação à Pátria em forma de poema, amiga Patrícia Pinna! Feliz semana e beijo no coração.

    ResponderExcluir
  17. Infelizmente ficamos de mãos atadas....
    Beijo Lisette.

    ResponderExcluir
  18. Bom dia Patricia!!!
    Foi o GRITO DE ALERTA mais poético que já vi. REVOLTA EM VERSOS é o segundo nome desse seu reflexivo poema.
    Hoje a BANDEIRA BRASILEIRA deveria só brilhar mas, infelizmente, ela chora, lágrimas de lama, por ver tanta destruição e tanto desamor...
    Acompanhando as noticias atuais cheguei a conclusão de que a poluição ambiental no planeta é o resultado da ganância dos homens. INFELIZMENTE.
    Parabéns amiga e vamos orar e lutar pelo BRASIL!!!

    ResponderExcluir
  19. Olá querida Patrícia,

    Um belo e fervoroso poema de insurgimento.
    Ninguém melhor do que os poetas, sensíveis que são, para bradar em seus versos o inconformismo de um povo com os desmandos e inconsequências políticas. É preciso não se deixar arrefecer, pois ninguém pode com a força de um povo unido.

    Perfeita a música escolhida.

    Excelente final de semana.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  20. Os nossos governantes, Patrícia, desconhecem o significados das palavras decência, justiça, honestidade, consciência e muitas outras...
    Belo poema.
    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  21. Ao passar pela net afim de encontrar novos amigos e divulgar o meu blog, me deparei com o seu que muito admiro e lhe dou os parabéns, pois é daqueles blogs que gostaria que fizesse parte de meus amigos virtuais.
    Pois se desejar visite o Peregrino E Servo. Leia alguma coisa e se gostar siga, Saiba porém que sempre vou retribuir seguindo também o seu blog.
    Minhas cordiais saudações, e um obrigado.
    António Batalha.
    http://peregrinoeservoantoniobatalha.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  22. A poesia é uma arma minha amiga.
    Infelizmente esta dor também alastra aqui no meu país.

    Um beijinho solidário

    ResponderExcluir

A verdade está em mim, sou amante dela com todo o fervor, e desse modo peço que todos que aqui passarem, comentem com a alma, com paixão e verdade, deixando a sua opinião particular e individual, afinal, somos seres únicos com visões diferentes!
Que a alma de cada um de vocês transborde nesse espaço tão meu, tão nosso!
Obrigada e beijos na alma!!!!!!!!!!

Patrícia Pinna.