REDESCOBRIDORES DA ALMA!

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Peça de Museu By Patrícia Pinna



Foste tu, amor meu
Como uma relíquia, admirada
Como uma peça de museu
A contar várias histórias
E vida formou- se em seu olhar

Nos nebulosos momentos
Vieram as carícias da solidão
Com a pretensão acolhedora
De muitas lágrimas, fixação

As peças de museu
Tem verossímeis sentidos
Presas a aguçar curiosidades
Na prata, no bronze ou no ouro
Quiçá, nas madeiras e mármores
Esculpidos por talentosas mãos

Amor meu, entrarás para a História
Serás apreciado ou renegado
Teus seguidores dirão 
Qual será sua restauração
De valia, ou posta numa lacuna qualquer
De seus labirintos surdos

Peça de museu não morre
Ganha a eternidade no espaço
Íntimo e particular de cada alma
Com a calma da oração a Deus
SANTUÁRIO!


Autoria: Patrícia Pinna
Todos os direitos autorais reservados
Imagem: Internet




12 comentários:

  1. Oi Patrícia,
    Saudades de ti
    Aforei a poesia
    Nasceu para encantar
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  2. Querida amiga como é gratificante poder ler tão belos momentos como este que acabou de partilhar a eternidade que aflora em tão belos sentires ,muitos beijinhos no coração ,felicidades

    ResponderExcluir
  3. Lindo poema!
    Fazia tempo que não vinha aqui, continua lindo seu espaço e as belas rosas vermelhas que o encantam!
    Abraços apertados com votos de feliz natal!

    ResponderExcluir
  4. É eterno tudo aquilo que guardamos em nos... belo poema...

    Beijos...

    ResponderExcluir
  5. Guardar na memória dos sentidos tudo o que é emoção.
    Um beijo, Patrícia, e desejos de um bom Natal e um Ano Novo cheio de tudo o que mais queres.

    ResponderExcluir
  6. Belíssimo poema.
    Patrícia, desejo-lhe um Feliz Natal e um Ano Novo repleto de saúde, alegria, realizações pessoais e profissionais, paz e amor.
    Beijinhos
    Maria de
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderExcluir
  7. O que as mãos abençoadas lapidam, brilham e tem vida.
    O que pode e faz uma metáfora na mente do poeta é de uma beleza fantástica e nada pode ofuscar Patricia. Belíssima sua poesia nesta linguagem tão linda da poesia.
    Brilhante como uma joia de rara, uma jade da poesia.
    Meus aplausos pela bonita arte de encantar palavras.
    Tempo de lhe agradecer por fazer companhia na minha viagem até esta estação.Que possamos embarcar de volta neste trem da poesia no novo ano que se apresenta, em que lhe desejo dias maravilhosos com muito amor e paz no coração.
    Feliz Ano Novo a você e seus familiares.
    Beijo de paz e muito obrigado pela atenção e carinho.

    ResponderExcluir
  8. Olá, querida Patrícia !
    Venho agradecer seu lindo comentário e desejar-lhe um feliz e abençoado 2018!
    Só a oração da calma e só a muda tudo e todos ...
    Bjm de paz e bem

    ResponderExcluir
  9. Magnífico poema, parabéns.
    Amiga Patrícia, continuação de boa semana. E bom ano.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  10. Boa tarde, Patrícia, que bom se tudo pudéssemos guardar como se fosse uma peça de museu, mas na poesia podemos fazer brilhar para sempre. Lindo poema. Que 2018 seja pleno em tudo que for bom para você. Grande abraço!

    ResponderExcluir
  11. Um blog cheio de poesia e cultura...
    Todas obra de arte, todas peça do Museu nos conta um passado, nos transmite uma mensagem, e é assim com seu blog,com suas poesias,pois recordo-me com saudades dos tempos que por aqui passava, talvez seja por isso que estou me sentindo uma peça de museu, mas uma peça feliz,feliz por saber que vc continua criando com muito ardor.
    Bjss Paty.

    ResponderExcluir

A verdade está em mim, sou amante dela com todo o fervor, e desse modo peço que todos que aqui passarem, comentem com a alma, com paixão e verdade, deixando a sua opinião particular e individual, afinal, somos seres únicos com visões diferentes!
Que a alma de cada um de vocês transborde nesse espaço tão meu, tão nosso!
Obrigada e beijos na alma!!!!!!!!!!

Patrícia Pinna.