REDESCOBRIDORES DA ALMA!

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Relâmpagos e Trovões By Patrícia Pinna



Escura como a noite em dias de tempestade
Das nuvens densas no céu de solidão
Repousa absoluta alma minha, roncando feito trovão
Absorta, letárgica, clamando alento para a minha fraqueza
Inundada pelas chuvas salinas, gélidas em perdição

Ouço trovoadas ensurdecedoras levando-me ao medo
Vejo  relâmpagos tremendo em fúria descompassada
Por eu estar prostada em meu túmulo de dor

Não compreendo a ação da Natureza
Permitindo tanta beleza virar destruição
Desfazendo a serenidade dos pingos da chuva
Deixando uma catástrofe acontecer

Destituiu-se vida plena, criou-se rasgo de amargura
Foi-se embora a candura e a vontade de crer
Que em tudo na vida há motivo para viver!

Autoria: Patrícia Pinna
Imagem: Internet.


31 comentários:

  1. Olá, querida Patrícia
    Que passem os trovões e a chuva e venha o sol ameno e o calor da felicidade...
    Bjm fraterno

    ResponderExcluir
  2. Boa noite Patrícia!!
    Tudo bem?
    Como está passando poetisa?

    Seu poema está devastador!
    Forte, lúgubre .. inspira tristeza, mas ao mesmo tempo irrompe uma grande força dentro da gente!
    Nem sempre nossos dias são feitos de delicadezas não é amiga?
    Depois de uma chuva serena, o sol pode despontar, mas também uma grande tempestade ... Depende do modo que a gente encara a vida!!

    Adorei querida!
    Sempre maravilhosa!
    Beijos e um ótimo restinho de semana! :)))

    ResponderExcluir
  3. Nao se pode descrer... é preciso acreditar sempre na vida, mesmo durante relampagos e trovoadas... pq é fato... depois da tempestade, sempre vem a bonança...

    Poema forte...

    Beijos, Patricia...

    ResponderExcluir
  4. Uma das melhores poesias que já li da poetisa. Comovente, dilacerante, intensa. Penetrante como um bisturi na carne. Certos reverses da vida nos parecem incompreensivos, nos seres sensíveis, amantes da ordem, do controle. Tudo porem parece se completar. O inverno justifica o verão, faz o dia de sol mais bonito, a tristeza a felicidade e nosso anseio em prolongar as horas felizes por lembramos das tristes e assim por diante... Não entendemos um milésimo de nada, a vida é sobrenada. De repente tudo faz sentido, concorre para o nosso bem, aprimoramento pessoal, nossa experiência de vida, amadurecimento e beleza de ser, forjados na dor. Embora o aprendizado seja árduo e imposto, para nos superarmos e sairmos mais fortes, orgulhoso das cicatrizes. “O que não nos mata nos torna mais forte”, diz o filme americano, acho que é por ai.

    ResponderExcluir
  5. Bom Patricia Pinna

    Belo poema.
    Tenho medo e respeito pela trovoada..
    Tu conseguiste descrever bam isso. Adorei.

    Beijinhos
    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  6. Essa vontade de viver acreditando deve voltar! Linda e forte poesia!


    Vim agradecer e dizer que "descobriste" mesmo. É a Shirley!! bjs, lindo dia! chica

    ResponderExcluir
  7. Um poema belo e forte. Perfeito rasgar de sentimentos.
    xx

    ResponderExcluir
  8. Bom dia querida Patricia.. assim muitas vezes sentimos nossas almas.. numa turbulência tão grande que vemos apenas o sombrio do todo que nos cerca..
    existe muita luz aos olhos da alma.. se a mesma os abrir e olhar lindamente..
    gosto de ler temas assim.. pois muito já escrevi ali atrás.. mas hj me dedico a temas mais serenos.. beijos de bom dia e até sempre

    ResponderExcluir
  9. Boa tarde Patrícia Pinna!
    adoro essa tua tempestade
    de relâmpagos e trovões, menina
    tem beleza, amor e felicidade.

    Seja feita sim a tua vontade,
    que te afaste da solidão
    para sempre vives em liberdade
    e amares com o teu coração.

    Dentro do peito o tens guardado,
    nunca o deixes por ninguém magoar
    dos teus doces lábios um beijo molhado
    gostava que viesse nos meus lábios encalhar!

    vi os teus lindos olhos a relampejar...
    com medo do trovão, preciso da tua guarida
    nunca te zangues comigo, estou a brincar,
    minha adorada, inesquecível amiga!

    Beijinhos.
    Eduardo.

    ResponderExcluir
  10. As vezes a gente se sente assim, no olho do furação.
    Mas nenhum dia é como o outro, e tudo passa tudo sempre vai passar.
    E o sol, ah o sol vai voltar a brilhar.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  11. Amada poetisa, querida amiga Patricia! Na sensibilidade de tua alma encontraste as palavras certas para acalentar a alma mesmo em tempos de tempestades ...até porque sabemos que logo após surge novamente o sol,aquecendo iluminando anjos disfarçados de gente como você. Amiga eu te amo!!!
    veraportella

    ResponderExcluir
  12. Ainda continuo acreditando que sempre haverá um motivo para viver.
    Bjux

    ResponderExcluir


  13. Olá Patrícia,

    Poema intenso e desolador.
    Há momentos na vida em que somos colhidos pela perplexidade, pelo inesperado, por dores e amarguras, mas certo é que não se pode deixar de acreditar que sempre haverá um motivo para viver. Toda tempestade é ruidosa e assustadora, mas também passa rápido. Pode até deixar rastros de destruição, mas a luz do novo dia traz a força necessária para a reconstrução e renovação.

    Beijossssssss.

    ResponderExcluir
  14. Da escuridão dos ceus brotam gritos de tormentas que se desfazem em lagrimas purificadoras que escorreguem e se dissipam num novo renascimento ,muito belo querida amiga Patrícia ,muitos beijinhos

    ResponderExcluir
  15. Que lindo soneto,Patricia! A natureza é destruida pelo homem e seu uso indiscrimado,mas sempre se recupera. bjs,

    ResponderExcluir
  16. Tudo há uma razão de ser... Não dá para fugirmos... O "entender" muitas vezes fica para depois... Sabe, aquele tempo, senhor de tudo? Ele mesmo, no tempo certo nos fará entender...
    Belo poema. Reflexão pura de quem vive e não vegeta!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  17. Num poema, tu falas em nebulosidade, neste em relâmpagos e trovoadas. Estás "climaticamente" instável mas poeticamente sempre afiada.
    Abraços, Poetisa.
    Ps. Que o próximo venha ensolarado.

    ResponderExcluir
  18. A vida nos foi dada devemos apenas viver....
    Beijo Lisette

    ResponderExcluir
  19. Muito trsite mas também bem emocionante.
    Voc~e é uma rainha .
    Forte e sensível ao mesmo tempo.
    Brisa e tempestade as naturezas q carregamos dentro das nossas emoções.
    Amo vc
    Rosa Valverde

    ResponderExcluir
  20. O acreditar o crer nunca podem morrer.
    Lindo demais seu poetar, apesar de melancólico, gostei!
    Beijinhos no coração.

    ResponderExcluir
  21. Em cada verso Patrícia uma nova e agradável surpresa nos revela o seu talento. A maravilha das palavras em versos tão belos.
    Meus parabéns do fundo de meu coração!

    Bjss

    ResponderExcluir
  22. Primeiramente, eu quero pedir desculpas pela minha demora em retribuir o seu doce comentário, mas este mês está bastante corrido para mim.
    Sobre a sua postagem, eu acredito que após a tempestade o sol irá aparecer. As dificuldades na vida não são eternas para aqueles que têm fé e esperança. Linda postagem. Beijos.

    ResponderExcluir
  23. J´passei e ainda passo por momentos de trovões e diria até alguns tsunames, mas a vida é assim, e são nesses momentos que descobrimos a nossa força interior. Não gostaria de passar momentos assim, mas por outro lado se não posso fugir disso posso ao menos lutar pra me manter forte ...

    É lindo e triste ao mesmo tempo seu poema, mas é um reflexo da vida de cada um de nós ...

    Deixo pra ti meu carinho, e que essas tormentas passem logo ...

    Bjks
    My

    ResponderExcluir
  24. Querida amiga

    Às vezes as palavras
    se escondem em nossas vidas.
    Então,
    saímos em busca de inspiração
    nos lugares onde a amizade
    se faz preciosa,
    (lugares como este)
    pois são os amigos
    que guardam as melhores
    palavras de nossa vida,
    para nos devolver e inspirar
    quando estivermos distantes
    de nós mesmos...

    Obrigado por sua generosa amizade...

    ResponderExcluir
  25. Amiga querida; infelizmente estamos sempre em situações de fragilidade. Somos emoção, enquanto lidamos com o outro lado, que é razão. Mas caminhar é preciso, ainda que por uma estrada escura, em tempestade. É preciso também sonhar e re acreditar em nossa capacidade de recuperar e seguir.
    Tenho passado por situações semelhantes, mas olho sempre por detrás das nuvens escuras e percebo que lá atrás, existe um céu azul, a me chamar.
    Contudo, perceba tudo que capaz. Olhe a beleza do seu poema, cheio de sentimento. E levante pra se dar oportunidade de ser feliz.
    Beijos

    ResponderExcluir
  26. Muitas vezes a turbulência da natureza reflete o tumulto que nos vai na alma... E tantas são as vezes em que a nossa alma fica imersa numa desordem tão grande que mesmo estando a natureza toda em festa não a vemos assim... São os percalços da vida, aqueles momentos em que nos integramos de tal forma com a natureza que nos sentimos uno com ela.
    Mas ainda existem motivos para acreditar, "Que em tudo na vida há motivo para viver!"
    Teu belo e profundo poema e a imagem dizem bem do transtorno que muitas vezes nos pega descrentes de tudo.
    Que te cheguem sorrisos e estrelas, para enfeitar teus caminhos, e que a chuva que teus olhos presenciarem seja somente para regar a terra e fazer nascer as flores que já estão chegando nos braços da Primavera.
    Com carinho,
    Helena

    ResponderExcluir
  27. Patrícia, vim avisar que acabaram de te "descobrir" por lá!

    beijos floridos,chica

    Aqui:

    http://chicabrincadepoesia.blogspot.com.br/2014/09/e-hoje-as-flores-vao-para27.html

    ResponderExcluir
  28. É amiga Patrícia por vezes nos sentimos assim... Muito forte seu poema...
    Mas que possamos crer sempre que o choro pode durar uma noite, mas a alegria virá ao amanhecer.
    Que esse amanhecer chegue logo logo, para as almas cansadas, exaustas de sofrimento.


    Beijos em seu coração amiga!

    ResponderExcluir
  29. Olá, Patrícia! Todos passamos por períodos de tempestades, não é meso? Quem se permite deixar o sol entrar na alma renasce mais forte e mais propenso a saber o que o faz feliz. Um abraço!

    ResponderExcluir
  30. Quando a natureza assim se apresenta, solta-se em nós alguma tristeza. Passará, são momentos.
    Beijo meu, Patrícia :)

    ResponderExcluir
  31. Há uma explosão de sentimentos nos seus versos. Mar agitado, tempestade no coração. Sabem os navegantes que as mudanças sempre chegam, para acalmar o espírito em desolação. Bjs.

    ResponderExcluir

A verdade está em mim, sou amante dela com todo o fervor, e desse modo peço que todos que aqui passarem, comentem com a alma, com paixão e verdade, deixando a sua opinião particular e individual, afinal, somos seres únicos com visões diferentes!
Que a alma de cada um de vocês transborde nesse espaço tão meu, tão nosso!
Obrigada e beijos na alma!!!!!!!!!!

Patrícia Pinna.