REDESCOBRIDORES DA ALMA!

quinta-feira, 12 de março de 2015

Reticências...

             

Deixou a força escondida  no mais profundo da alma
Sem a calma que sempre a adornara, preciosa veste
Derramou vasos repletos de lágrimas dançando
A dança da tristeza inerente ao ritmo da música
E, repetidamente, ouvia o bolero que a encantava
E, só, cantava do seu jeito tão desesperador

O amor em seu âmago estende-se pelo infinito 
Que ninguém vê, somente ela em seu mundo 
Onde penetrar era impossível, não havia brecha
Era o momento mais particular de sua vida

Mais uma vez a mesma dança, o mesmo bolero
Os mesmos trejeitos, a mesma solidão, tanto amor...
Dor, uma assim, não pensara em sentir  outra vez
E, em sua tez, a expressão da mais pura melancolia

Terá de aprender a decrescer os degraus do amor
A superar os dias tão escuros,
A ouvir novas notas melodiosas
Abrindo-lhe o sorriso mais completo
Mas, isso para ela, não importa, não é seu querer
Seu ponto final está distante de seus olhos, seu desejo
Seguem as reticências teimosas como uma pedra
Das mais difíceis de serem removidas! 

Autoria: Patrícia Pinna
Imagem: Internet
Vídeo: You Tube


30 comentários:

  1. Eita! Um boleraço! Adorei.
    beijogrande

    ResponderExcluir
  2. As desilusões, as decepções amorosas são de um sofrimentos atroz. O que era sorriso, vira amargura; felicidade, sofrimento; calma, tormento... Duro é acreditar novamente, se permitir, dar uma nova chance,. esperar do futuro. Esquecer o que antes era a razão de ser.

    ResponderExcluir
  3. Muito linda poesia e a vida sem as reticências, o que seria? Lindo sempre! Ótimo fds! bjs, chica

    ResponderExcluir
  4. Bom dia Patricia Pinna

    Toda a nossa vida é uma reticências... O seu poema é SOBERBO...AMEI


    Beijo, bom fim de semana.
    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  5. Bom dia, Patrícia!
    Um poema forte e verdadeiro!

    ResponderExcluir
  6. Bom dia Patrícia. Gostei muito desta dança triste, em jeito de bolero, a desvendar solidões e desejos por cumprir. Muito belo!.
    Gosto de ouvir a Maria Rita. E sempre me lembro da Elis Regina...
    Um beijo e bom fim de semana.

    ResponderExcluir
  7. As reticências fazem parte da vida e do viver, como será que seria a vida sem elas?
    Lindo poetar.
    Um abraço e feliz final de semana e agradecida por sua visita.

    ResponderExcluir
  8. Como você escreve bem!!! Amei! Obrigada pelo lindo comentário no meu blog! Deus abençõe muito esse seu dom! Beijos e tudo de bom!

    ResponderExcluir
  9. Olá, querida Patrícia
    Gosto muito das reticências... a vida é assim!!!
    Bjm quaresmal

    ResponderExcluir
  10. OI PATRICIA!
    ESTOU RETORNANDO AOS POUCOS, ESTIVE DOENTE E AGORA ESTOU NA PRAIA. AINDA NÃO TENHO POSTAGEM NOVA NO "SÓ PRA DIZER", MAS NA PRÓXIMA SEMANA ESTARÁ TUDO NORMAL.
    TEU TEXTO, COMO SEMPRE, TRÁS UMA BELA MENSAGEM.
    ABRÇS
    zilanicelia.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Assim e a vida uma eternidade de reticências ,maravilhoso querida amiga Patricia ,muitos beijinhos no coração .

    ResponderExcluir
  12. Nossa, é incrível como a dor é perfeitamente expressada em um poema.... Ele é muito mais expressado que a alegria. As rimas tem esse poder, de transferir sentimentos. Amei o poema
    Cris & as Letras

    ResponderExcluir
  13. Gostei de entrar ao som de Ivan Lins e depois ouvir um bolero
    destes que arrastam nossos pés no jogo de dois pra lá, dois pra cá.
    E a cabeça distante numa reticência sem fim.
    A vida é feita destas e muitas emoções campeiam por elas Patricia.
    Meu carinhoso abraço..
    Beijo querida amiga.

    ResponderExcluir
  14. Palavras em forma de bolero Patrícia. Lindo seu poema!!!

    Beijos!
    Alcides

    ResponderExcluir
  15. Muito bom esses versos, parabéns.

    Arthur Claro
    http://www.arthur-claro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  16. Não há como negar ou evitar, Patrícia, as reticências serão muitas vezes preenchidas.
    Lindo!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  17. No amor nunca podemos colocar
    um ponto final e sim reticencias.

    Lindo poema.

    beijos

    ResponderExcluir
  18. Muito linda poesia.
    A vida sempre traz algo novo, algo silencioso, muitas vezes tristes outras maravilhosas..e as reticências vem com ela.
    As reticências calam pra poder falar em seguida, faz parte do nosso viver.
    O seu poema é soberbo e traz uma reflexão profunda da vida.
    Amei
    Beijos carinhosos
    Rosa Valverde

    ResponderExcluir
  19. Tocante poema, Patrícia!
    Como o canto é tantas vezes enfeitado de pranto, nesses momentos só nossos, que ninguém vê ou pressente. Ao amor, sobe-se desce-se, e nem por acaso costuma dizer-se que as descidas custam mais do que as subidas.
    Mas as reticências, qual névoa de ténue esperança só atrapalham. Às vezes é necessário o difícil e eloquente ponto final.
    Gostei muito! E da Maria Rita também.
    xx

    ResponderExcluir
  20. Reticências, continuações, seguimentos, .... , a vida é feita disso. Apesar dos obstáculos encontrados no caminho, o que ficou e o que virá sempre terão um papel essencial em nossa existência. Belo poema, Patrícia. Adorei!

    Meus blogs literários:
    O Poeta e a Madrugada (Contos e Poesia)
    Dark Dreams Project (Contos de suspense e terror)

    Abraços!

    ResponderExcluir
  21. Soneto-acróstico-pastiche
    Reticências

    O amor ao estender-se pelo infinito
    Usando na sua alma preciosa veste
    Vai ouvindo pois o que esta tem dito
    Indiferente que ao faze-lo seja teste.

    Nessa dança da tristeza inerente seja
    Deixar penetrar na impossível brecha
    Ou ser do bolo num momento a cereja
    Aquela dor que no imo coração fecha.

    Seguem então as reticências teimosas
    A superar quem sabe tão escuros dias
    Logo esse átimo não apenas de rosas
    Mas algo isento de quaisquer poesias.

    Assim, ainda que expectativas airosas
    Sabemos que diferente disso não seria.

    ResponderExcluir
  22. ...as reticências, assim como os pontos finais,
    são escolhas da ilusão ou da razão!

    bj, lindeza!

    luz e paz sempre!

    ResponderExcluir
  23. Belo poema!

    Amei ler. Desejo que continue tendo as mais lindas inspirações nesse inicio de semana.

    Beijos amiga Patrícia!

    ResponderExcluir
  24. Certas coisas Pat são como reticência, independe de ponto final..., é a teimosia dos passos incertos, algo que deveria terminar, mas teima em ficar.deveria ter um ponto final,mais não, fica entre a pausa e a reticência.
    Mesclando possibilidades futuras... Um mar de coisas não ditas, que martelam a nossa cabeça. Não quer se deixar acabar,.excitação notória, como algo transitório, algo que breve terá uma interrupção brusca.Algo sem final feliz,somente fantasia e euforia...Apenas o que se quer, sem culpa, ressentimento sem argumento...Um amor mal curado, juízo quase Desperdiçado ficando sem seguir o rumo
    Muitas das vezes precisando a usar a arte do ponto final,um pontinho único e simples.E mesmo que algo possa iniciar após ele, esse tal ponto final, que teima em ficar, permitindo um novo ponto de partida, sem a continuidade do agora,um novo começo...
    Bjsss

    ResponderExcluir
  25. No fundo d'alma esconde-se os sentimentos mais secretos de felicidade e de dor. Alguns nem pensamos em mexer e eles se repetem e não se sabe o porquê. São estes sentimentos que nos faz dançar a mesma música sem que ousamos ao menos tentar em nós permitir ouvir e aprender a dançar uma nova canção. Enquanto não temos coragem de ousarmos continuamos assim... Na mesma canção! Lindo poema, amiga Patrícia Pinha! Bom dia e uma semana abençoada! Bjs no <3

    ResponderExcluir
  26. Boa tarde querida Patrícia.. na vida, no que cerca a mesma a gente coloca muitas dessas reticencias..
    muitas vezes temos medo de seguir adiante..
    de encarar as coisas olhando nos olhos.. tudo esta mesclado em nós.. amores, dores.. sonhos e desilusões.. e a caminhada segue com toda esta bagagem sobre nosso ombros.. mas somos fortes e seguimos sempre.. bjs e um lindo dia

    ResponderExcluir
  27. Eliminamos as reticências mudando os caminhos, mas a dor haverá que ser vivida, para nos tornar mais fortes. E é lá no íntimo que se faz essa dança, solitária e triste. Bjs.

    ResponderExcluir
  28. Minha querida amiga deixe que a dor faça sua parte e renasça belamente cantando seus versos encantados plenos de amor pela vida, que nos espera em cada manhã.
    Mas é preciso estar aberto às possibilidades como aquela porta aberta para a felicidade.
    Que a semana seja leve e bela.
    Beijos

    ResponderExcluir

A verdade está em mim, sou amante dela com todo o fervor, e desse modo peço que todos que aqui passarem, comentem com a alma, com paixão e verdade, deixando a sua opinião particular e individual, afinal, somos seres únicos com visões diferentes!
Que a alma de cada um de vocês transborde nesse espaço tão meu, tão nosso!
Obrigada e beijos na alma!!!!!!!!!!

Patrícia Pinna.