REDESCOBRIDORES DA ALMA!

sábado, 5 de março de 2016

Por Entre Vãos By Patrícia Pinna





Como queria que nada fosse repetitivo
Nostalgia não morasse dentro de mim, fatalidade
E, as lembranças, fossem portadoras da felicidade
O oposto a isso ocorre, e ao redor, final destrutivo

Como queria não querer vivenciar esse estado aflitivo
Pálido, e sem calor, por entre o roseiral morto, atrocidade
Mas falta-me a vontade, e, testemunha a verdade
Gritante em meu olhar e calada em minha boca

De como o ausente amor pode ser tão devastador
Causar tanta dor e solidão por entre os vãos
Crescentes em um vendaval enlouquecedor
Onde, aos poucos, esquecemos de molhar os grãos!


Autoria: Patrícia Pinna
Vídeo: You Tube
Imagem: Internet




23 comentários:

  1. Lindo, embora a nostalgia que dá a ausência da pessoa amada, bela inspiração!
    Abraços linda poetisa Patrícia!

    ResponderExcluir
  2. Que inspiração maravilhosa!!!
    Triste, porém bela
    Os poetas traduzem a tristeza em estrelas.
    Achei simplesmente maravilhosa
    Rosa Valverde

    ResponderExcluir
  3. Quisera saber comentar à altura da beleza de tua poesia! Linda demais! bjs, tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  4. Como dia a Chica; Muito Difícil comentar como realmente o poema merece. BRILHANTE

    Bom bom fim de semana

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  5. Querida amiga até na tristeza os sentimentos abundam nas lindas palavras que escreveu ,pode-se dizer que é um momento triste ,sem dúvida ,mas a verdade é que mesmo na tristeza se compõem belos momentos de poesia ,muitos parabéns ,beijinhos no coração.

    ResponderExcluir
  6. Por entre vãos, não deixa passar,
    uma oportunidade na tua vida
    para triste lá sozinha não ficar
    dos olhos uma lágrima no chão caída.

    Não deixa o amor perdido na solidão,
    sem beira, nem eira, nem guarida
    guarda-o bem juntinho do coração
    para que sejas feliz com ele toda a vida!

    Boa noite, bons sonhos e um bom dia de domingo,
    desejo p'ra você Patrícia, Pinna, um beijo.
    Eduardo.

    ResponderExcluir
  7. Suspiros... Lindo e triste! Mas profundo!
    Beijos, lindona!

    ResponderExcluir
  8. Consequências do amor... Lindo!

    Abs Leila

    ResponderExcluir
  9. Amei
    obrigado sua visita e comentario me faz feliz
    Beijos Anjo.

    ResponderExcluir
  10. Não há como entender e explicar os deslizes do amar, quando este experimenta sobreviver nos porões da desilusão, do desencantamento. O amor se alimenta de grão em grão continuamente criando um ciclo que se renova em cada emoção.Perde a emoção,agoniza o amor e morre como as flores do roseiral sob uma devastação de praga.
    Belo e profundo sentimento elevado de reflexão e poesia.
    Aplausos em poesia.
    Uma linda semana de paz e muita luz sobre o amor.
    Abraços com carinho.
    Bjs de paz.

    ResponderExcluir
  11. Patrícia, quando se coloca a alma nas palavras sai poesia.
    A amiga conseguiu transformar a dor em inspiração, parabéns por este momento mágico.

    Um beijinho

    ResponderExcluir
  12. Bem, gosto demais de chegar aqui e poder ouvir esse instrumental lindo de Ivan Lins...
    Quanto as ações devastadores que o amor muitas vezes nos causa saiba - elas podem ser boas, ou ruins... somos nós que as direcionamos e, caso se saia do controle é porque tem algo de errado e há a necessidade de rever certos fatores... esta é a minha opinião. Sou extremamente apaixonada, mas não perco a cabeça. Aprendi a ouvir meu coração com serenidade e a saber que, se algo foge assim das nossas mão é porque não é um AMOR que vale a pena. Amor sadio é aquele que deixa tranquiulidade em nós...

    Beijinhs, Flor!

    ResponderExcluir
  13. Linda melancolia poetisa!

    Amo essa música! Boa escolha!

    Linda tarde pra você!

    ResponderExcluir
  14. O caminho do amor não é uma reta e nele costumamos nos perder, vivendo momentos de melancolia, de insegurança, de desilusão. O sentimento é como as plantas e, por vezes, mesmo sendo cuidado, perde as folhas, o brilho... vai ao chão. Bjs.

    ResponderExcluir
  15. Maravilhoso, Patrícia!
    Bom final de semana!

    ResponderExcluir
  16. "Falta-me a vontade".É isso, a vontade nos escraviza sempre, no sim e não que dizemos a nós mesmos. Um amor, uma dor e uma grande poetisa. Lindo !!!

    ResponderExcluir
  17. Como queria...mas nossos corações são mais fortes do que nossa vontade, e amar faz parte da vida, bjs, poetamiga, linda poesia!

    ResponderExcluir
  18. Muitas, muitas vezes sentimo-nos assim , Patrícia...
    Mas, devemos ter esperança de que tudo mude, pois, o sol volta a brilhar todos os dias.
    Muito bonito.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  19. Quanta dor contida nas palavras deste triste mas belo poema.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderExcluir
  20. Triste e comovente!
    Um abraço Patricia!

    ResponderExcluir
  21. Olá Patrícia,

    O poema é lindo e sentido, traduzindo nostalgia e desalento.
    O amor, às vezes, nos conduz por estradas tortuosas e, quando isto acontece, é preciso repensá-lo e avaliar a comodidade de alimentá-lo ou não. Amar é um exercício diário e exige cuidar do jardim, regar e semear para o florescimento pleno do sentimento.

    Ótimo final de semana.

    Beijo.

    ResponderExcluir

A verdade está em mim, sou amante dela com todo o fervor, e desse modo peço que todos que aqui passarem, comentem com a alma, com paixão e verdade, deixando a sua opinião particular e individual, afinal, somos seres únicos com visões diferentes!
Que a alma de cada um de vocês transborde nesse espaço tão meu, tão nosso!
Obrigada e beijos na alma!!!!!!!!!!

Patrícia Pinna.