REDESCOBRIDORES DA ALMA!

segunda-feira, 16 de maio de 2016

O Parto da Poesia By Patrícia Pinna



O parto da poesia não durou nove luas
Foi gerado no ventre das ideias e sentimentos
Pousou levemente seu líquido de amor
Sob as folhas ainda por serem escritas, pálidas

Tomou um fôlego muito bom, suspirou, sorriu, chorou
E deu à luz tantos líricos e diferentes verbetes
Emoção inundou em poucos instantes, deu movimento
Ao preenchimento de versos robustos e corados

Uma luminosidade fez-se intensa como o vento
Espalhou graça , um frescor recém-nascido
Adornou o espírito, salvou a alma
Banhou o corpo com uma seiva pura, refrescante
E uma festa acariciou as sedentas mãos

Poesia eterna sem fronteira,guerreira
Uma leoa e uma coelha, a bênção verdadeira
Inerente aos elementais, um som vibrante e calmante
És tu, o princípio de toda a existência
Onde nos rendemos dando graças
E a ti oferecendo ósculo santo!


Autoria: Patrícia Pinna
Vídeo: You Tube
Imagem: Internet




27 comentários:

  1. É momento lindo este do poder da criação, o instante em que as palavras se encantam e criam todo um transe e mergulha-se neste e emerge com fruto doce,saboroso que se espalha por todos os cantos e cria-se o encanto da poesia.
    Muito bonita esta busca da concepção da poesia.
    A musica perfeita tradução dos poetas em dar às palavras o sentido além do seu sentido mais simples e material.
    Belíssima escolha desta musica marcante de nossa MPB.

    Boa semana amiga e tudo de bom e leve.
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Interessante (2)
    "leoa e coelha" é divertido e expressa muito bem um ideal.

    BjóKawanami

    ResponderExcluir
  3. Muito linda,Patricia e a poesia em ti, tem um parto bem fácil, flui sempre! beijos, linda semana,chica

    ResponderExcluir
  4. Que delícia de poesia, leve e linda.
    Poesia é algo que vc domina com seu maravilhoso dom.
    Muito gratificante começar o dia carregando uma poesia tão singela no coração.
    Aplausos
    Rosa Valverde

    ResponderExcluir
  5. Um poema soberbamente bem escrito para além de muito belo!

    Beijo, e um excelente dia.

    Coisas de Uma Vida 172

    ResponderExcluir
  6. Um parto cheio de sentires que vagueiam deliciosamente neste lindo e profundo poema querida amiga ,muitos beijinhos no seu lindo coração.

    ResponderExcluir
  7. Patrícia,
    Gostei muito de seu poema, da forma que foi ‘gestado’, e do conteúdo. Parabéns.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  8. Oi Patrícia!
    Que linda homenagem que fizeste em forma de poesia!
    Um parto, um momento sublime!
    Realmente encantador!
    Difícil e complexa é a alma de um poeta que consegue concatenar as palavras e fazer delas pura poesia!

    Obrigada poetisa linda!
    Maravilhoso fim de semana! :))))
    Beijinhos!!!!

    ResponderExcluir
  9. Lindo momento, Patrícia, bela inspiração!
    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  10. No início era o Verbo...Lindo e interessante texto sobre as origens da poesia, fecundadas pelas impressões da alma e geradas no aconchego de uma mente aberta à inspiração...
    Um feliz domingo!
    Bíndi e Ghost

    ResponderExcluir
  11. A poesia. A inspiração que às vezes tarda, mas acaba por chegar. Tão bonito, Patrícia!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  12. Dela não estou farto,
    amo a tua bela poesia
    nela tenho encontrado
    a tua sincera simpatia!

    Não é mentira minha não,
    porque eu não sei mentir
    guardada no meu coração
    bem eu a estou a sentir!

    Um abraço apertadinho,
    porque hoje é dia do abraço
    receba também um beijinho
    deste seu amigo Eduardo.

    Bom domingo!

    ResponderExcluir
  13. O parto poético é sempre compensador.
    E, no caso deste seu poema, é excelente.
    Gostei imenso, parabéns.
    Boa semana, querida amiga Patrícia.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  14. Da gestação ao nascimento da poesia, momento sublime em que o poeta dá alma e vida às palavras num contexto último da criação! Parabéns pelo belíssimo poema, Patrícia! Boa noite de paz e abençoada semana, amiga! Bjs no ❤

    ResponderExcluir
  15. Da gestação ao nascimento da poesia, momento sublime em que o poeta dá alma e vida às palavras num contexto último da criação! Parabéns pelo belíssimo poema, Patrícia! Boa noite de paz e abençoada semana, amiga! Bjs no ❤

    ResponderExcluir
  16. Lindo! A poesia nasce sempre de uma maneira tão profunda e silenciosa. A poesia é o transbordar da alma. Belíssimo poema. Beijinhos.

    ResponderExcluir
  17. OI PATRICIA!
    DESCREVESTE COM SABEDORIA O NASCIMENTO DA POESIA, POIS A CADA UMA QUE SURGE, DAMOS UM NOME E NOSSO CARINHO COMO SE FILHAS O FOSSEM.
    ABRÇS http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Escreves tao bem...esta sempre fazendo nascer poesias lindas...que dom maravilhoso vc tem...

    Beijos,patricia...

    ResponderExcluir
  19. A poesia nasce
    sempre que um sentimento
    se agita dentro do nosso coração.
    Então nossa alma não mais nos pertence...
    Nem nosso olhar...
    Nem nossas mãos...
    A poesia se escreve a partir da nossa vida,
    e nesta ação inadiável,
    também faz com que renasçamos a cada nova palavra...

    Um imenso abraço...

    ResponderExcluir
  20. Mamma mia !!!!! É de arrepiar o coração ! Como você escreve bem e como conduz a sua poesia com maestria.
    Veja esses dois primeiros versos

    "O parto da poesia não durou nove luas
    Foi gerado no ventre das ideias e sentimentos"

    Inicia-se com riqueza e primazia a vossa poesia . Uma poesia é gerada do ventre da alma , no âmago do sentimento , no mar negro e na água cristalina , assim nasce a poesia . E a condução pela qual inicia-se o poema é maravilhosamente espetacular .

    No segundo estrofe, vejamos : o que era um papel em branco logo tornou-se um lar inundado de palavras, mares cristalinos repletos de emoção e movimentos , vemos a luz.


    Minha cara , poeta

    Sabes o quanto estás invadida de poesia, em teus olhos, em tua boca , em teus dedos , em teu corações na tua alma transborda POESIA e entre a leoa e o coelho e entre a poesia forte e a poesia frágil, existe a figura da poeta ( Mãe , geradora de filhos poéticos ) que não se cabe em tanta poesia e a cada minuto um parto que nos salva, um parto de vida : o milagre da poesia .

    Agradeço por essa esplendorosa obra !!!!

    ResponderExcluir
  21. Simplesmente arrasou! Lindo associar a poesia a um parto, pois parto é luz. Eu mesmo quando estava para lançar meu livro, parafraseando Gonzaguinha, eu dizia que estava grávido. Bjs na alma.

    ResponderExcluir
  22. Falhou a entrada do comentário, mas vou tentar reproduzir...
    Gostei imenso deste poema/homenagem ao ato criativo.
    Com mais ou menos dor, o processo da escrita é sempre luminoso e ilumina quem (nos) lê! Parabéns!
    Bjo na tua alma :)

    ResponderExcluir
  23. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  24. Uma linda ode a poesia. Escreveste de forma magistral o parto dessa filha prematura que nasce quando quer e tarda quando convém. Muito bom, minha cara! Como sempre brincando com os temas mais adversos e fazendo encantos mil.

    ResponderExcluir

A verdade está em mim, sou amante dela com todo o fervor, e desse modo peço que todos que aqui passarem, comentem com a alma, com paixão e verdade, deixando a sua opinião particular e individual, afinal, somos seres únicos com visões diferentes!
Que a alma de cada um de vocês transborde nesse espaço tão meu, tão nosso!
Obrigada e beijos na alma!!!!!!!!!!

Patrícia Pinna.