REDESCOBRIDORES DA ALMA!

sexta-feira, 3 de julho de 2015

Vento Solitário By Patrícia Pinna



O vento frio congela seu sentimento
Paralisa suas pernas, não esboça sorriso
Pele gelada e dorida
Músculo que devagar vai anunciando
Suas batidas quase finais

Cabelos feito flocos de neve
Breve sensação de penumbra e um pavor
Torpor e lágrimas secas
Aninhadas no seu habitat tão conhecido pela solidão

Balbucios imperiosos de queixumes
E no cume da montanha coberta de algodão
Relembra sua aflição

Teimosa, espera, anseia que o amor venha salvar-lhe
Mas este é o seu algoz, o seu encurralado labirinto
Inexistindo a doação, deleita-se no sombrio vão da rejeição
E, sozinha, perde-se no caminho sem colo, sem alento, sem unguento

Quando um tímido passo seus pés conseguem dar
Prostram saudades das agudas
Feito agulha fina a penetrar-lhe a carne
E a alma acabara de gritar por socorro

O surdo vagueando pelas tempestades, não ouvira
E a deixara por lá, sozinha, a mercê de sua tristeza confinada
Sem a preciosa luz, seu alimento
A fonte alimentadora colorida em suas veias
E, num breu, seguem suas horas inexatas
Pelo ponteiro da Natureza
Onde sentira ser presa de si mesma


Autoria: Patrícia Pinna
Imagem Internet
Vídeo: Youtube     





25 comentários:

  1. Fantástico poema, com uma bonita musica. adorei!

    Beijos, bom sábado
    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  2. Bom dia querida amiga ,adorei simplesmente divino ,as suas palavras emanam toda a doçura do seu coração ,muitos beijinhos e um feliz fim de semana .

    ResponderExcluir
  3. Maravilha,Patrícia! Que bom te ver, estavas sumidinha!!!rs beijos, lindo fds! chica

    ResponderExcluir
  4. Divina..aplausos. Fiquei muito emocionada e me identifiquem. Profunda,bela,admirável.A solidão é temerosa. Chorei muito lendo essa poesia vinda de sua linda alma. Rosa Valverde

    ResponderExcluir
  5. Soprava suavemente,
    o vento solitário
    de boa vontade, não descontente
    estou escrevendo este comentário,

    Não gosto não do vento frio,
    muito quente também não
    mas, gosto sim do teu sorriso
    e sentir o bater do teu coração!

    Também gosto dos teus Cabelos,
    gosto de tudo o que teu
    não tenho ciúme nem dor de cotovelos
    li com atenção o poema que você escreveu.

    Tu escreve muito bem,
    tu brinca com as palavras
    gosto dos teus olhos também
    são lindos com ou sem lágrimas!

    Estou sentindo tanta emoção,
    por isso mesmo, por aqui vou ficar
    penso não ter magoado o teu coração
    da maneira como escrevo em ti a pensar!

    Te desejo amiga Patrícia Pinna, uma boi noite, bons sonhos
    e um maravilhoso fim de semana, um beijo ti amiga!
    Eduardo,

    ResponderExcluir
  6. Corrijo: Uma boa noite e não boi noite. Peço desculpa pelo erro!

    ResponderExcluir
  7. A solidao maltrata... poema belo...

    Beijos...

    ResponderExcluir
  8. Belo, Patrícia. Anota "[...] horas inexactas
    (...)
    Onde sentira ser presa de si mesma[...]"



    Beijos



    SOL

    ResponderExcluir
  9. Lindíssimo poema, versos super bem construídos, parabéns, Patrícia, bjssss, s2

    ResponderExcluir
  10. belo e com alguma nostalgia...

    boa semana.

    beijo

    :)

    ResponderExcluir
  11. Um poema que a vida já me ensinou a driblar a nostalgia da solidão. Chega um tempo em que merecemos essa pausa conciliadora com nosso interior.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  12. Não sei qual a sua inspiração ao escrever esse belo poema...mas lembrou-me muito da solidão das pessoas idosas, a quem ninguém mais visita, de quem ninguém lembra, confinadas em seus próprios corpos que já não vão aonde elas querem ir...
    A solidão pode ser muito boa quando feita por uma escolha nossa, mas quando se trata de circunstância imposta da qual não temos como escapar, é o mais triste caminho por onde possa andar um ser humano.
    Um abraço!
    Bíndi e Ghost

    ResponderExcluir
  13. Olá Patrícia,

    Admiro especialmente em seus poemas a intensidade com a qual suas inspirações desabrocham.
    O tom melancólico do poema sensibiliza o leitor. Gosto de poemas que se comunicam com a alma do leitor,
    O amor nunca deveria ser algoz. Um sentimento tão sublime não deveria despertar dor, desalento ou levar a um estado de solidão.

    Linda a música de Alceu Valença. Perfeitamente sintonizada com o poema.

    Feliz semana.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  14. Muitos parabéns linda amiga, Patrícia Pina!
    É sempre com grande prazer que leio, suas lindas poesias!
    Obrigada por me deixar fazer parte do seu leque de leitores.
    Grata. Beijos no seu coração, amiga em Cristo.
    Josélia.

    ResponderExcluir
  15. Patrícia, em seus versos, a sensibilidade que nunca falta. É ela que lhe permite construções nascidas do coração. A melancolia crescente acompanhou seu poema, que mostra efeitos dolorosos dessa solidão. Bjs.

    ResponderExcluir
  16. Boa noite. Passo pelo seu blog, do qual sou seguidor, para conhecer suas postagens, como ocorreu com este seu poema. Voltarei para conhecê-lo melhor.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  17. Querida amiga

    As maiores prisões
    são aquelas que construímos
    com os nossos sentimentos.
    Delas é impossível fugir...

    Sua vida é preciosa para mim...

    ResponderExcluir
  18. Oi querida Patrícia!

    Um poema dorido, profundo e belo sobre a solidão humana
    do desamparo, um sentir-se só, desconectada do olhar do
    outro, um abismo no "estar solitário".
    Há a transcendência para a solidão do encontro interior numa
    conexão maior que restaura e liberta...
    Adoro esta música do Alceu!
    A tua escolha foi primorosa para acompanhar a beleza
    profunda do teu poema. O Alceu é a da minha terrinha
    Pernambuco. Um artista de uma energia eletrizante
    e inesquecível...
    Uma semana luminosa!
    Beijo na (tua) alma.

    ResponderExcluir
  19. Sólida solidão. É um muro intransponível, é uma falta de ar, um vagar sem ter razão, sem ter aonde ir, onde chegar. É um silencio... Um vazio... Um rio que não encontra o mar, um mar que cansou de esperar. Um vida se desperdiçando, até quando... Solidão!

    ResponderExcluir
  20. Quando a alma se encontra em apuros, a solidão vem fazer sua morada.
    Difícil estar neste porão sombrio, sentindo o frio que vem pelo vento.
    Um vento que outrora trazia uma canção, que alegrava o coração, mas vem
    uma destas viradas dos ventos e o que era alegria, torna-se melancolia.
    E bem diz a canção, que ilustra este poema, a solidão é fera, faz o relógio
    mais lento e causa este descompasso no coração. A solidão Patrícia é este
    estar, sem querer diante das garras da águia em pleno voo da renovação, pois que depois,
    da solidão, sempre vem um estar de euforia, de renascimento, de reencontro dos passos.
    Uma linda inspiração em poesia, que a construção coroou como uma bela obra.
    Parabéns querida poetisa deixe seus versos soltos, que nós gostamos. Não suma.
    Beijos e tudo de bom em cada manhã.

    ResponderExcluir
  21. Sua palavras deixaram que eu viajasse entre os versos.
    Um pequeno fragmento que achei lindíssimo.

    'Balbucios imperiosos de queixumes
    E no cume da montanha coberta de algodão
    Relembra sua aflição'.
    Triste,mas muito lindo.
    Bjs Patrícia e obrigada pela visita.
    Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  22. Olá, querida Patrícia
    Alam de poeta sofre a ausência de amor não amado...
    Lindos versos onde o desabafo interior dão beleza extrema ao poema riquíssimo!!!
    Bjm fraternal

    ResponderExcluir
  23. OI PATRICIA!
    QUANDO O VENTO DA SOLIDÃO INUNDA A ALMA, DESTRÓI O POUCO QUE RESTA, DO QUE FOMOS UM DIA.
    MUITO LINDO AMIGA.
    ABRÇS
    -http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  24. Desculpa Paty pela ausência, mas nunca deixaria de vir te ler, e saborear essas belezas que são teus lindos poemas.
    Este é mais um deles.
    Bjsssss

    ResponderExcluir
  25. Oi Patrícia,
    Gosto muito das imagens
    que vc escolhe para ilustrar
    as postagens!
    Bem interessante o poema...
    deve ser triste ter o amor como algoz
    e sentir-se presa de si mesma,
    mas existe uma luz salvadora
    fora desse labirinto...
    Ótimo dia, bjs!

    ResponderExcluir

A verdade está em mim, sou amante dela com todo o fervor, e desse modo peço que todos que aqui passarem, comentem com a alma, com paixão e verdade, deixando a sua opinião particular e individual, afinal, somos seres únicos com visões diferentes!
Que a alma de cada um de vocês transborde nesse espaço tão meu, tão nosso!
Obrigada e beijos na alma!!!!!!!!!!

Patrícia Pinna.